Encontre o que precisa buscando por aqui. Por exemplo: digite o título do filme que quer pesquisar

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

A versão atualizada de "Sherlock Holmes", o mais clássico de todos os detetives

Um diretor ligado à cultura pop como Guy Ritchie, só podia dar uma fisionomia diferenciada a Sherlock Holmes, um detetive do final do século 19 que deu material para mais de 220 títulos, a maioria deles na linha gótica dos filmes de horror. Foi o que fez esse ex-marido da Madonna, cujo filme anterior era “Rockanrolla – A grande Roubada”, sobre um bandido roqueiro. Começa por escalar Robert Downey Jr e Jude Law para os papéis de Sherlock e Dr. Watson, atores mais talhados para a comédia do que para a ação física.

Observem a mudança na caracterização atual, em relação à imagem padronizada do personagem de Conan Doyle, da qual faziam parte a figura aquilina do ator Basil Rathbone e a roupa que usava. Olhando para esta foto, porém, nota-se a semelhança entre ele e Mark Strong, que faz o vilão no filme de Guy Ritchie.
Acima, Mark Strong
Abaixo, Basil Rathbone

No entanto, sem desrespeitar a fama da sua imensa capacidade mental, neste filme ele é mostrado como alguém “bom de briga” − o que abre espaço para uma das várias firulas cinematográficas da montagem. Antes de cada luta, por exemplo, vemos como ele planeja meticulosamente os golpes que o levam à vitória. Por outro lado, para introduzir a pitada cômica, o herói se mostra totalmente desprovido de inteligência emocional e se deixa enganar como um patinho pela noiva (Rachel McAdams) , uma aventureira tão maquiavélica quanto deveria ter sido Mata Hari. A produção é primorosa e parte da encenação acontece na ponte sobre o Tâmisa ainda em construção. Aliás, esse dado cenográfico simboliza o resto do roteiro, em que as futuras conquistas da tecnologia, como a comunicação sem fio, são mostradas como se fossem obras de magia negra. O vilão é um gênio do mal que lembra Hitler, mas apenas prepara o terreno para o terrível Professor Moriarty, a ser interpretado por Brad Pitt no 2º filme da série. Atração à parte é a música de Hans Zimmer, com o detalhe que no filme Holmes não toca violino. Também não usa drogas, e seu cachimbo, geralmente apagado, não é curvo.
Sherlock Holmes
2009 - EUA - 128 min
estreia 08/01/2010
distribuição Warner
gênero aventura / mistério / fantasia
Direção Guy Ritchie
Com Robert Downey Jr, Jude Law,
Rachel McAdams, Mark Strong

2 comentários:

Loma disse...

Esse filme vai matar tudo que existe de bom na minha vida.

Anônimo disse...

Que exagero! Os filmes não matam. Apenas doem, às vezes...