Encontre o que precisa buscando por aqui. Por exemplo: digite o título do filme que quer pesquisar

domingo, 2 de janeiro de 2011

Com "O Concerto", o romeno Radu Mihaileanu segue a trilha da comédia italiana clássica

O Concerto é uma comédia na linha daquelas em que um grupo de farsantes se reúne para aplicar um golpe. Mas, diferentemente de “Onze Homens e um Segredo”, “Rififi”, ou "Matadores de Velhinhas”, aqui o objetivo não é um roubo, nem um desfalque, mas a execução de um concerto de Tchaikovsky, especificamente o sublime Nº 35 para violino e orquestra. O protagonista é o atual faxineiro do Bolshoi em Moscou, que há 30 anos, era o maestro naquele mesmo teatro. Durante o período Brejnev, ele fora demitido por ter se recusado a expulsar os músicos judeus da orquestra. Agora, ao interceptar um fax em que o Bolshoi é convidado para tocar em Paris, ele resolve reunir os velhos companheiros para se apresentarem no lugar dos verdadeiros músicos.
O trabalho a partir dessa idéia é tão empolgante que o resultado concorre ao Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro: uma produção francesa dirigida pelo romeno (e também judeu) Radu Mihaileanu, que em 1998 fez o comovente e engraçado “O Trem da Vida”. Novamente temos uma farsa que, de um lado ataca o stalinismo burocrático e anti-semita mas, de outro, brinca com os próprios correligionários − como sabem fazer, aliás, os grandes do humorismo cinematográfico como Groucho Marx, Mel Brooks, Woody Allen e os irmãos Coen. Exemplo disso são os trompetistas que aproveitam a viagem para tentar vender caviar russo e celulares chineses para os franceses e, por causa disso, chegam atrasados para a apresentação.
No roteiro há também uma engenhosa linha melodramática que, de resto, tem tudo a ver com a própria música de Tchaikovsky e que se resolve durante a execução do concerto. No centro dessa trama, temos a personagem da solista de violino francesa, interpretada pela mesma Mélanie Laurent, que fez o papel do anjo vingativo em “Bastardos Inglórios”: a dona do cinema no qual os nazistas são incinerados. A propósito, Mihaileanu estudou cinema em Paris, mas foi assistente de Marco Ferreri e tem todas as condições de levar adiante a tradição cômico-dramática desenvolvida na Itália e que agora pertence a todo o planeta.
O CONCERTO
Le Concert
estreia 24 12 2010
França/ Itália/ Romênia/ Bélgica/ Rússia
2009 – 123 min. – Livre
Gênero Comédia / Drama / música / política
Direção Radu Mihaileanu
Com Leksey Guskov, Dmitri Nazarov,
Mélanie Laurent e François Berléand
COTAÇÃO
* * * *
ÓTIMO

2 comentários:

Inteligência de Mercado disse...

Filme emocionante!! O interessante é que o diretor, mostra seu estilo sutilmente. Ao ver o filme me lembrei imediatamente do "O trem da vida" e não sabia que era do mesmo diretor!
Adorei saber.
É fantástica essa capacidade de rir de si mesmo que o humor judaico carrega! Só os muito inteligentes conseguem realizar essa façanha.
Ótimo post!

Anônimo disse...

Filme emocionante!! O interessante é que o diretor, mostra seu estilo sutilmente. Ao ver o filme me lembrei imediatamente do "O trem da vida" e não sabia que era do mesmo diretor!
Adorei saber.
É fantástica essa capacidade de rir de si mesmo que o humor judaico carrega! Só os muito inteligentes conseguem realizar essa façanha.
Ótimo post!