Encontre o que precisa buscando por aqui. Por exemplo: digite o título do filme que quer pesquisar

domingo, 24 de junho de 2012

"E aí, comeu?" não agradou aos jornalistas. E o distribuidor do filme perdeu a esportiva

A maioria dos críticos do país não gostou de "E aí, comeu?". O diretor da empresa que distribui o filme perdeu as estribeiras e resolveu insultar a crítica do jornal O Globo.
Na pessoa dela, os colegas de todo o país se sentiram ofendidos e, em sinal de protesto, a Associação Brasileira de Críticos de Cinema redigiu o texto abaixo.

A Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema) repudia os termos com quais o presidente da RioFilme, sr. Sérgio Sá Leitão, manifestou-se nas redes sociais a respeito de críticas dirigidas à comédia “E Aí, Comeu?” no jornal O Globo. O sr. Leitão exortou o público a ver o filme (no que está em seu direito, e mesmo obrigação), não devendo se deixar levar pela opinião de ” críticos malcomidos” (sic). Ora, é bem normal, reiteramos, que um dirigente de instituição pública, como é o caso da RioFilme, vinculada à prefeitura do Rio de Janeiro, defenda os interesses das obras cinematográficas que distribui. É, também, perfeitamente compreensível que discorde de avaliações desfavoráveis aos filmes sob sua responsabilidade. Inaceitável é o modo agressivo com o qual pretende desqualificar quem emite opiniões que não lhe convêm. Talvez contaminado pela linguagem do filme que defende, o sr. Leitão tenha se esquecido de que a graça chula pode até caber em uma obra de ficção, mas desafina quando vinda de uma presidência da RioFilme, cargo que agora ocupa e avilta. Além de deselegante, esse tipo de reação em nada contribui para o diálogo sadio entre os vários setores da atividade cinematográfica, entre os quais a crítica se inclui.

3 comentários:

Guilherme Z. disse...

Só o título do filme já afugenta o público. Pouco importam as críticas.

Enaldo disse...

Título ridículo, pueril, apelativo.

O pior de tudo é ver novamente o poder público se envolvendo com o cinema.

Brasil, um país de tolos.

Cine São Paulo disse...

Confesso que também não curti muito o filme, porém, os comentários acima me chamaram atenção!

O pior de tudo é ver novamente o poder público se envolvendo com o cinema... Não entendi!

Com relação ao título não vejo problema algum, aliás, já tivemos títulos muito pior, e, essa frase é dita por pelo menos 98% dos homens! Ou estou errado?

Abraço