Encontre o que precisa buscando por aqui. Por exemplo: digite o título do filme que quer pesquisar

sexta-feira, 25 de maio de 2012

A Palma de Ouro do Brasil - a única - foi para "O Pagador de Promessas", há 50 anos

Todos os jornais brasileiros estão noticiando o que acontece no Festival de Cannes que é, sem dúvida, o mais importante evento cultural do mundo cinematográfico. Acontece que pouca gente se lembra de que há exatamente meio século, em maio de 1962, o Brasil ganhava a Palma de Ouro em Cannes, com “O Pagador e Promessas”, produzido pelo paulista Oswaldo Massaini. Aquela foi a única ocasião em que uma produção brasileira recebeu aquele tão cobiçado prêmio. É bom lembrar que aquela vitória não caiu do céu. Resultava de uma escalada, em matéria de produção de cinema no Brasil. No mercado exibidor, os filmes nacionais desfrutavam uma posição bem melhor do que a atual − por conta do apoio num “sistema de estrelas” que fora germinado no rádio e do qual a televisão ainda não tinha se apropriado. Do ângulo financeiro, a tentativa de instalar em São Paulo estúdios tipo “fábricas de filmes” − como a Vera Cruz − não fora bem sucedida. Mas gerou o primeiro título nacional a ser amplamente divulgado no exterior: O Cangaceiro, de 1953. Além disso, muitos técnicos e artistas europeus reunidos na Vera Cruz permaneceram aqui e agregaram know how e repertório cinematográficos às nossas produções. Inclusive no caso do próprio O Pagador de Promessas − como, por exemplo, o fotógrafo Chick Fowle e o ator e diretor Anselmo Duarte. Esse foi o caldo de conhecimento em que ele se formou, antes de seu primeiro trabalho como diretor: Absolutamente Certo (1957), outra realização de Massaini.

Um comentário:

Enaldo disse...

Foi um prêmio bastante merecido. É um dos poucos filmes brasileiros de que realmente gsoto.