Encontre o que precisa buscando por aqui. Por exemplo: digite o título do filme que quer pesquisar

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

A Associação Brasileira de Críticos de Cinema (ABRACCINE) escolhe os melhores de 2011


No ano passado, pela primeira vez na história da imprensa brasileira, os críticos cinematográficos se uniram numa agremiação de caráter nacional: a ABRACCINE, Associação Brasileira de Críticos de Cinema, que reúne cerca de 80 jornalistas de todos os estados. No final do ano, eles fizeram um balanço do que foi lançado no período e elegeram o melhor longa estrangeiro, o melhor brasileiro e o melhor curta-metragem nacional. Depois de muita discussão pela internet, eles, isto é nós chegamos a três finalistas em cada categoria. Para longa metragem Estrangeiro concorriam “A Árvore da Vida” (EUA, de Terrence Malick); “Melancolia” (Dinamarca, de Lars Von Trier) e “Tio Boonmee, que Pode Recordar Suas Vidas Passadas” (Tailândia, de Apichatpong Weerasetakhul). Para longa metragem brasileiro disputavam “Transeunte” (de Eryk Rocha), “Trabalhar Cansa” (de Marco Dutra e Juliana Rojas) e “O Palhaço” (de Selton Mello). Já para curta metragem nacional estavam entre os finalistas “Praça Walt Disney” (de Renata Pinheiro e Sergio Oliveira) e “Céu, Inferno e Outras Partes do Corpo” (de Rodrigo John). A votação foi realizada em dois turnos. Primeiro, cada crítico votou nos filmes de sua preferência, resultando na escolha de três finalistas em longa metragem e dois em curta-metragem. De um segundo escrutínio resultaram os filmes que receberão o Prêmio ABRACCINE de 2011. Este não será em dinheiro, mas terá a simbologia histórica de ser o primeiro de uma série que só deverá crescer em termos de prestígio e representatividade. Os vencedores são: Nacional – “Transeunte”; Estrangeiro - “A Árvore da Vida” e curta metragem “Praça Walt Disney”. Os meus votos no 1º turno foram para “O Palhaço”, de Selton Mello e “Melancolia”, de Lars Von Triers.

Um comentário:

Enaldo disse...

Nunca ouvi falar deste filme tailandês, vou atrás. Eu também acho Melancolia superior à Árvore da Vida.